Faces 3

Author: Henrique Alvez / Marcadores:

Esta é a parte final, por tanto não saia lendo de uma vez ou você não vai entender absolutamente nada.
Há mais duas partes da história.
Está dividido porque fiquei com vontade de dividir. (mentira, está dividido porque sei que todos são preguiçosos e não leriam o texto se ele fosse postado de uma vez só, além de um motivo a mais, que você que realmente lê os textos, vai entender no final.)


Faces 3

O homem também a reconheceu, seus olhos ganharam o dobro do tamanho temporariamente, e logo depois, sua expressão tornou a ganhar um ar frio de momentos anteriores. Por um momento os dois ficaram parados se encarando. Ele estava imóvel, a mão ainda segurando a maçaneta da porta que antes abrira. Ela tremia dos pés às pontas dos cabelos bagunçados, os olhos embaçados por lágrimas que já não mais podiam ser contidas.

Lentamente ela virou-se e dirigiu-se em direção ao carro ali estacionado, os primeiros sinais de seu pranto escorrendo pelo rosto cansado que não desgrudava o olhar do chão a caminho do que a tiraria dali.

Dia seguinte.
"O que houve ontem?", perguntava a babá que agora almoçava junto à patroa na mesa da cozinha mal iluminada.
"Nada que valha a pena ser lembrado" Disse a mulher. Seus olhos tinham o cansaço acentuado agora. Estavam inchados de tanto chorar.
"É evidente que vale a pena", insistiu a moça. "A senhora partiu aos prantos, e repentinamente."
"Não deveria ter feito isso, me desculpe"
"Vocês se conhecem?"
A pergunta da empregada atuara como um golpe monstruoso no estômago da mulher, que agora via mais uma vez em sua cabeça, cenas que ela não mais suportava lembrar-se. A cabeça caiu sobre o peito, e junto com ela uma nova lágrima.
"Não.", respondeu ela, soluçante.

Por um momento, a moça negra não soube o que dizer, mas precisava descobrir o que se passava com a patroa, que acima de tudo era uma boa amiga para ela, e a ajudava sempre que precisava.
"Tudo bem não querer falar agora."
A mulher não respondeu.
"Tem alguma coisa que eu possa fazer, antes que a senhora saia?", perguntou, em uma última tentativa.
"Volte ao seu trabalho." Respondeu a mulher ainda cabisbaixa e melancólica.

Mas foi enquanto a babá se levantava e dirigia-se ao quarto dos gêmeos, que uma idéia saltou a perturbada mente da patroa. Um ato de coragem que faria justiça a tudo o que ela passara durante os últimos três anos. Seria um ponto final simbólico que ela esperava amenizar um pouco a dor que as terríveis e incessantes lembranças lhe causavam.
"Sara, espere.", chamou a mulher. "Me diga o nome do seu marido."
"Samuel Pereira"
"Obrigada"

Ela saiu para o trabalho. Mas antes, precisava por sua idéia em prática, agora que ela tinha o que precisava só lhe faltava a coragem, e isso ela achava que tinha o suficiente.
Caminhou pelas ruas frias da cidade em busca de um orelhão.
Finalmente após encontrar um, parou em frente a ele e, sem pensar de mais, começou a discar.
"É da delegacia da mulher?"
A voz ao outro lado da linha respondeu positivamente. Ela respirou fundo e continuou
"Eu gostaria de fazer uma denúncia..."
A mulher do outro lado pediu que ela prosseguisse
"Faz três anos que aconteceu, mas tudo pode ser provado por um diário que certamente ainda se encontra na residência do autor do crime"
Pediram que dissesse seu nome e do que se tratava o crime, para que depois fossem fornecidos os detalhes.
Ela encheu os pulmões mais uma vez e respondeu:
"Meu nome é Carmen Dias. Quero meu estuprador preso"

18 comentários:

Nathalia Nicolosi disse...

Poxa, quero saber a outra parte!
rsrs
Dá vontade de continuar lendo para saber o que vai acontecer.
Adorei!


Beijo!
http://serenico.blogspot.com/

Andre Mansim disse...

Vc escreve bem, seu texto flui legal, gostei dos detalhes que vc vai contando ao longo do texto ! Muito bom, parabens !

http://amansim.blogspot.com/

visita lá

Vaunei Guimarães disse...

poxa desculpa eio sem tempo d ler tudo...mas fiz uma visita...assim q puder retornarei!

Bruno Lobo disse...

gosto da maneira como a historia vai desenrolando
um grande mosaico que aos poucos vai se revelando.
adorei o espaço.
td de bom!

Aмαηdα disse...

Nossa adorei a forma que escreve,sinceramente amei mesmo.'

Diego disse...

PURA Literatura! *-* Escrita inteligente, subjetividade na mediida. O conto é um dis generos mais insociaveis, porque ele não se dá a qualquer um, e nem escolher por escolher. tua escrita fala por si só e demostra o quão bom contista é.! *-* Parabéns, mesmooo.! Sucesso com o blog.! (:

Nando! disse...

Adorei! O texto vai sendo mostrado com inteligência e com fatos na medida certa! Parabéns!

neetho b. disse...

Como o colega anterior disse, seu texto flui muito bem. E também é intrigante, adorei.


te espero no meu *-*
http://retrojovem.blogspot.com/

Pedro disse...

Prometo ler as outras partes dessa história, agorinha eu volto pra ler.

Adorei essa parte, você escreve de uma forma que consegue prender o leitor na história.

Nathália Duarte disse...

Que medo da foto!
Como disseram, é intrigante seu texto.

Fabiane Aline disse...

Muito legal a forma que vc escreve, parabéns.
Beijos e obrigada pela visita (volte sempre).

greg disse...

indo ler as outras partes para entender melhor, mas ta mto bom!!
http://naosentindo.blogspot.com/

Sílvia Soares disse...

Muito bom o texto. Você tem uma maneira peculiar e interessante de escrever. O texto flui de uma maneira simples e completa. Passe no meu e diga se gosta

http://palavrasaouniverso.blogspot.com/2010/08/sofrimento.html

=)

Hemmely disse...

hmmm mt bom ..
dividir os textos é a sacada pq ninguem leria um texto imenso e a foto ta perfeita, texto mt bom ..

VISITE:
http://amyfeelings.blogspot.com/

Deni disse...

nosaa !!!
nesse vc se superou !!!
que final incrivel
historia envolvente do começo ao fimm =D

Anônimo disse...

Henrique primeiro você me assustou com a imagem (são 00:39 e eu me assusto a toa, ora pois) depois com o fim. Eu, sinceramente, não sei como sai tanto talento (ou talvez eu saiba) dessa mente completamente irônica e, com certeza, engraçada. Seu talento é imenso, além de ser um dom lindo, NUNCA o desperdice.
com admiração, marina

saylavee disse...

Hi Henrique

I love this image and I would like to get your permission to use it for my horror film. Please write to me at saylavee@adelaide.on.net. I am a filmmaker in Australia.

Thank you,

Ursula Dabrowsky

saylavee disse...

Oi Henrique

Eu amo essa imagem e gostaria de obter sua permissão para usá-lo para o meu filme de terror.

Por favor, escreva para mim no saylavee@adelaide.on.net.

Eu sou um cineasta na Austrália.

Obrigado,

Ursula

Postar um comentário

Evitem enviar o link do seu blog junto com o comentário, e principalmente coisas como: "visite meu blog + link".... Faça isso e não haverá visita.

Pages